domingo, 2 de dezembro de 2007

Dia 02 de Dezembro - Dia Nacional do Samba!!!!

“Quem não gosta de samba bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé”




Pois é, hoje é o Dia Nacional do Samba!!!! A postagem de hoje será dedicada a este ritmo que me deixa encantado! Este dia foi inventado por um vereador baiano chamado Luiz Monteiro da Costa, na década de 40, em homenagem a um visitante muito especial sabe a quem??? Ary Barroso!!!! O compositor de “Aquarela do Brasil”. Ele já tinha composto “Na baixa do sapateiro” que fala sobre a Bahia, mas nunca tinha colocado os pés na terrinha. E foi justamente no dia 02 de dezembro que ele visitou Salvador pela primeira vez!

Quando a gente pensa em samba, logo lembra de carnaval e do Rio de Janeiro, é claro. Afinal, foi lá mesmo que ele nasceu: na Praça Onze, onde os negros baianos do bairro da Saúde e os ex-escravos dos morros se encontravam para tocar marchinhas de carnaval e também o maxixe, em 1916. O samba apareceu como uma mistura da boas de ritmos brasileiros e africanos de nomes engraçados, como as umbigadas (ou samba) , as pernadas de capoeira, o marcado no pandeiro, o prato-e-faca e o “na palma da mão” – esse, todo mundo conhece. E logo fez o maior sucesso, se tornando o grande concorrente das marchinhas de Carnaval. O primeiro samba gravado no Brasil foi “Pelo telefone” de 1917, na voz de Bahiano. A música é do sambista Donga e do jornalista Mauro de Almeida.


Salve o Dia do Samba!!!



E na postagem de hoje falarei resumidamente sobre 4 grandes nomes do samba, eu sou louco por eles, minha vontade era falar deles o dia inteiro, mas irei resumir!


ADONIRAN BARBOSA (1910-1982)

Foto tirada por Mister Teles no Teatro Fecap/SP no dia 14/10/2007


O primeiro deles é o saudosista Adoniran Barbosa! Já falei dele aqui em meu blog ao fazer o relato de um show que Vânia Bastos fez aqui em Brasília. Ver: (http://blogdobibico.blogspot.com/2007/10/vania-bastos-em-brasilia.html) . Dizem que “São Paulo” é o túmulo do samba” mas não com este sambista paulista de primeira na historia. Filho de imigrantes italianos, seu verdadeiro nome era João Rubinato, e alem de compositor, foi carregador de vagões, entregador de marmitas, varredor, tecelão, pintor, encanador, serralheiro, garçom, metalúrgico e vendedor. Seus sambas ficaram famosos nas vozes do grupo Demônios da Garoa, como “Trem das Onze”, “Saudosa Maloca”, “Tiro ao Álvaro” e “As Mariposas”, entre outros.


CARTOLA (1908-1980)




O cantor, compositor e poeta carioca Agenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola, era um dos sambistas da velha guarda da Mangueira – alias, você sabia que foi ele quem escolheu o nome e as cores dessa escola de samba?


Entre suas composições mais famosas estão “As rosas não falam”, “O mundo é um moinho”, “Ensaboa mulata” e “Preciso me encontrar”.

Ney Matogrosso em 2002 gravou um disco só com músicas dele e este disco no ano seguinte virou um CD/DVD ao vivo, achei simplesmente maravilhosa a idéia do Ney. Eu fico emocionado do Ney estar sempre inovando e valorizando grandes nomes da nossa música, a partir do momento q um artista do nível do Ney faz isso, ele presta uma grande contribuição à nossa cultura, nesse sentido, posso dizer que Ney é também missionário da música pois num trabalho como esse por exemplo, ele levou a música de Cartola para muita gente que não conhecia Cartola. Eu acho que o Ney tem mesmo uma visão voltada para o futuro, ele é um artista
à frente de seu tempo, bastou ele gravar um cd com músicas do Cartola que em 2006 lançaram o filme “Cartola – Música para os Olhos”, aproveito a ocasião e recomendo desde já este filme que conta historia deste compositor tão importante para a Música Popular Brasileira.

Vejam o trailler:




NOEL ROSA (1919-1937)

O carioca de Vila Isabel nasceu de um parto difícil: o medico teve que usar um instrumento chamado fórceps para tirá-lo da barriga da mãe e acabou afundando a mandíbula do coitado. Era por isso que ele tinha aquele “queixo pra dentro”. Mas isso não impedia Noel de levar uma vida de boêmio e compor sambas famosos até hoje, como "Conversa de botequim" e “Com que roupa?” (que Gilberto Gil gravou maravilhosa bem no disco "Quanta" e Zizi Possi tambem no disco "Sobre todas as coisas"). Ele também fazia serenatas com o conjunto Os Tangarás.

Acho super bacana o cinema brasileiro fazer filmes sobre a vida dessas pessoas, este ano foi lançado o filme “Noel – Poeta da Vila” que inclusive ainda está em cartaz.

Vejam o trailler:





PIXINGUINHA (1897-1973)




Alfredo da Rocha Vianna Filho compôs muitas musicas, tocou flauta e saxofone como ninguém e foi maestro e arranjador. Quando ele era criança, sua avó o chamava de pizindim, que quer dizer “menino bom” numa língua africana. Um dia, ele acordou com o rosto coberto de bixiguinha, umas bolinhas causadas pela varíola. Ai, foi só misturar bixinguinha com pizindim e ele ganhou o apelido de Pixinguinha. Seu pai era flautista e sua casa estava sempre cheia de músicos. Pixinguinha é autor de sambas como “Carinhoso”, “Um a zero” e “Auto-retrato”. Ele também participou de um conjunto de choro chamado Oito Batutas.




Salve Adoniran Barbosa!
Salve Cartola!
Salve Noel Rosa!
Salve Pixinguinha!
Salve o Samba!
Salve a nossa Musica Popular Brasileira!
Related Posts with Thumbnails
Postar um comentário