quinta-feira, 30 de agosto de 2007

ARTISTA DO DIA: VERONICA SABINO

ARTISTA DO DIA: VERONICA SABINO




Veronica Sabino está em Brasilia hoje. Ela fará um show no CCBB na mostra Encontro Marcado com Fernando Sabino.

Esta é uma oportunidade única para assistir ao show dela. Estou mto feliz e ansioso para conferir a performance dela no palco.

Ela tem oito discos gravados, os tres primeiros eu nao consegui encontrar tive q baixa-los pela internet mas os cinco ultimos, consegui encontrar.

Veronica tem uma voz doce, suave, é afinadíssima e tem um repertório mto refinado, de mto bom gosto, ela canta Zelia Duncan, Tom Jobim, Zeca Baleiro, Paulinho Moska, Rita Lee, Fátima Guedes, Chiquinha Gonzaga, Vitor Ramil, Cartola, Chico Buarque, DorivalCaymmi, etc. No ultimo disco, "Agora" Veronica revelou ser tb compositora.


Segue abaixo uma matéria sobre a Veronica Sabino. Salve a nossa música popular brasileira!




No início dos anos 80, Verônica Sabino entrou para o cenário da música brasileira através do grupo vocal Céu da Boca, uma das boas novas da época.

Seu estilo marcante chamou a atenção do mercado e em 1986, com direção artística de Roberto Menescal, Verônica gravou seu primeiro disco solo, Metamorphose (Polygram), prestigiado pela imprensa.

Em seu segundo disco, num repertório de canções inéditas de Lulu Santos, Kiko Zambianchi, Marina Lima, entre outros, ficou conhecida do grande público com um dos maiores sucessos de sua carreira – a música “Demais”, versão de Zé Rodrix e Miguel Paiva para a canção de Lennon e McCartney, que entrou na trilha sonora da novela “Selva de Pedra” da TV Globo, em 87.

Outros convites do produtor Mariozinho Rocha alçaram o nome de Verônica para a galeria do sucesso através de temas de novela da Globo como "Todo o Sentimento" de Chico Buarque (Vale Tudo/88) e "Tudo que se quer", versão de Nelson Motta para o tema do musical Fantasma da Ópera, em dueto com Emílio Santiago (Tieta/89), tornando conhecida do grande público, também a sua faceta de cantora romântica.

Integrou alguns projetos, como o especial para a Sony, "Brasil Romântico", mais uma vez produzida por Menescal, trazendo Lupicínio, Caymmi, Roberto Carlos e Rita Lee no repertório.

Em 1993, inaugurando nova fase no Selo MP,B/ WEA, a artista voltou a chamar a atenção da mídia com Verônica , disco produzido por Zé Nogueira, onde a delicadeza dos instrumentos acústicos como piano, violões, percussão e sopros, valorizam os detalhes do canto e a letra de canções como "Três da Madrugada" (Torquato Neto/ Carlos Pinto). "Um disco zen", segundo a própria.

Com o intuito de revelar o pensamento feminino na música, em 95, Verônica Sabino gravou Vênus, também produzido por Zé Nogueira – só com composições de mulheres de diversas gerações, de Chiquinha Gonzaga (“Lua Branca”) a Adriana Calcanhoto (“Tardes”).

Em 1997 lança Novo Sentido em uma parceria com o produtor Celso Fonseca e Sacha Amback. A identificação musical entre eles, um repertório atual que reuniu compositores como Herbert Viana, Pedro Luís, Suely Mesquita e Roberto Carlos, resultou numa sonoridade urbana e contemporânea, que gerou hits como “Não se Afasta de Mim”, do próprio Celso, e “Às Vezes, Nunca”, de Zélia Duncan e Christian Oyens.

Em Passado a Limpo (99), além de resgatar sua história numa espécie de “biografia musical”, Verônica aproveita para finalmente colocar à disposição do público canções como as que fizeram sucesso em novelas e songbooks, e não estavam incluídas em nenhum de seus discos. Além das canções de sua carreira, incluiu três registros inéditos: "Melhor pra mim" (Leoni), "Lágrimas e Chuva" (Leoni/ Bruno Fortunato/George Israel) e "Impossível Acreditar que Perdi Você" (Márcio Greyck).

Para 2002, Verônica Sabino preparou o novo CD “Agora”, que inaugura novas parceria. Com a experiência do produtor inglês Paul Ralphes, que já assinou diversas produções brasileiras (Cidade Negra, Sérgio Brito, Gabriel O Pensador), a cantora mostra, pela primeira vez, quatro músicas da própria lavra e interpreta canções de Zeca Baleiro, Fausto Nilo, Moska, Vítor Ramil e Márcio Greyck.

Considerando ter atingido mais maturidade, não só do seu projeto artístico como de sua própria musicalidade, Verônica aposta na sensibilidade e o resultado é um trabalho mais acústico, mais vivo e emocionado.

Adriana Bueno Casagli. Related Posts with Thumbnails
Postar um comentário