domingo, 20 de janeiro de 2008

Mônica Salmaso em Brasília

"Em qualquer rua de qualquer cidade
Em qualquer praça de qualquer país
Levo meu canto puro e verdadeiro
Eu quero que o mundo inteiro
Se sinta feliz"



E é assim que eu me sinto, feliz quando ouço Mônica Salmaso. Sempre quis muito escrever sobre ela aqui em meu blog, vou aproveitar que ela esteve aqui ontem (19 de janeiro) pra fazer um "relatinho" bem apaixonado sobre esta cantora paulistana!

Brasília foi presenteada com um show dela e do rabequeiro pernambucano Seu Luiz Paixão pelo Projeto Pixinguinha (um projeto do governo que permite levar a música brasileira aos rincões do país). É a segunda vez que este projeto traz Mônica Salmaso aqui à Capital Federal, e nesta segunda vinda dela, fiquei surpreso como o público dela cresceu aqui em Brasilia de 2005 (que foi quando ela esteve aqui da última vez) para 2008. O teatro estava lotado, os ingressos esgotados e ainda tinha muita gente em pé no teatro, isso porque Brasília fica vazia no mês de férias. Ver aquele teatro lotado me deixou muito contente pois significa que aos poucos ela está se tornando conhecida! Mônica Salmaso é uma cantora que eu gosto demais e que desejo muito sucesso. Desde que a descobri não paro de falar dela pelos quatro cantos do universo, rs e eu nunca vou parar de divulgá-la porque o Brasil precisa conhecer esta cantora de alma brasileira que tem um timbre de voz muito bonito, uma voz mezzo soprano aveludada, de técnica apuradíssima, e com um repertório irretocável.

Eu conheço o trabalho dela desde 2004 quando ouvi na casa de um amigo o disco Iaiá, aquele timbre me chamou a atenção, eu nem sei definir como é a voz de Mônica, algo como a voz de Nana Caymmi, então, quando eu ouvi aquelas canções eu fiquei doido, quis saber quem era, corri atrás, descobri outros discos, os discos dela sao dificéis de achar, mas enfim, procurei tudo! Foi amor à primeira audição. Desde entao, tenho acompanhado passo a passo a carreira dela.

Em junho do ano passado, eu assisti 3x o show dela no Teatro Fecap em São Paulo, ela estava lá com o grupo Pau Brasil apresentando o show do último disco dela "Noites de gala, samba na rua" um disco só com músicas de Chico Buarque que eu adorei! Aliás, falando no Chico, foi muito importante pra carreira dela ter sido chamada por ele para gravar a faixa "Imagina", esta é a música que Chico escolheu pra fechar o disco "Carioca", e ele fechou com chave de ouro encerrando o disco com esta participação da Mônica. O Chico nao lançava disco fazia um tempao, achei que Chico foi muito feliz em ter convidado Mônica pois acabou dando notoriedade para ela. Mônica Salmaso também apareceu duas vezes no filme sobre a vida Vinicius de Morais que foi lançado em 2005. Aos poucos ela foi ganhando visibilidade.

Eu passei a semana inteira, atualizando a minha pasta com músicas que ela gravou que estão fora da discografia dela, quando vi, ja tinha em minha pasta mais de 100 canções, tudo coisas que até então para mim eram inéditas, descobri nesta pesquisa musical o quanto ela é especial e o quanto o repertório dela é diferenciado e riquíssimo!

O repertório dela é brasileiríssimo, um repertório sofisticado, ela não canta qualquer coisa, é diferente das cantoras da atualidade, ela nao canta coisas que a Ana Carolina canta por exemplo, ela é como se fosse a nossa Mercedes Sosa, o repertório dela é bem diferente, bem ligado à nossa cultura, à nossa raiz brasileira, ao nosso folclore (nisso ela me lembra Clara Nunes) e por isso ela nao é uma cantora comercial e não tem o sucesso que a Ana Carolina tem. Eu até prefiro que seja assim pois de um certo lado (e é até um egoísmo da minha parte dizer isso mas...) só realmente os merecidos, ou os escolhidos, podem apreciá-la como eu a apreciei ontem.

Neste show tive a oportunidade de vê-la cantando pela primeira vez um fado, trata-se de "Estranha forma de vida", de Amália Rodrigues e Alfredo Duarte que Maria Bethânia gravou no disco ao vivo "Nossos Momentos". Eu me arrepiei ao ouvi esta interpretação extraordinária de Mônica, fiz uma filmagem amadora, a imagem não está muito boa mas o som está legal, eu já pus no youtube, confiram:




Mônica cantando "Recenseamento" de Assis Valente:




Mônica cantando "Baião de quatro toques" de Zé Miguel Wisnik e Luiz Tatit:



Edu Lobo disse que ela é a melhor voz que surgiu neste cenário nos últimos anos! Mônica tem recebido bastante elogios pela crítica nacional e internacional! Elis Regina disse que se Deus cantasse, cantaria com a voz de Milton Nascimento e eu , um simples pobre mortal aventureiro musical, ouso dizer com todo respeito a Elis (que eu adoro) que se Deus cantasse, cantaria com a voz de Mônica Salmaso.

E pra encerrar a postagem de hoje, vou colocar aqui uma canção linda que encerra o disco dela "Voadeira", visitem o site dela (http://www.monicasalmaso.mus.br/), futuramente postarei mais coisas sobre ela em meu blog.




Canário do Reino

Intérprete: Mônica Salmaso
Composição: Carvalho / Zappata

Não precisa de dinheiro
Prá se ouvir meu canto
Eu sou canário do reino
E canto em qualquer lugar

Não precisa de dinheiro
Prá se ouvir meu canto
Eu sou canário do reino
E canto em qualquer lugar

Em qualquer rua de qualquer cidade
Em qualquer praça de qualquer país
Levo o meu canto puro e verdadeiro
Eu quero que o mundo inteiro
Se sinta feliz

Não precisa de dinheiro
Prá se ouvir meu canto
Eu sou canário do reino
E canto em qualquer lugar

Em qualquer rua de qualquer cidade
Em qualquer praça de qualquer país
Levo o meu canto puro e verdadeiro
Eu quero que o mundo inteiro
Se sinta feliz

Não precisa de dinheiro
Prá me ouvir cantar
Não precisa de dinheiro
Sou canário do reino
Canto em qualquer lugar




Fotos de Mister Teles e Mônica Salmaso no Teatro FECAP São Paulo (Junho de 2007) e em Brasília Sala Funarte(Abril de 2005)

Related Posts with Thumbnails
Postar um comentário