quarta-feira, 12 de março de 2008

Ney Matogrosso: Inclassificável





Sou apaixonado pelo Ney Matogrosso, este grande ícone da Cultura Brasileira, um artista completo que me impressiona bastante com sua musicalidade exuberante e camaleônica. Ele é a nossa jóia preciosíssima da nossa Música Popular Brasileira, jóia raríssima!

Ney de Souza Pereira (Matogrosso vem por causa do estado de nascimento, na pequena Bela Vista, quase Paraguai) é um furacão no palco. Ele sempre inova quando lança um disco, nunca fica parado no tempo, sempre faz algo diferente. E tudo o que Ney grava, ele imprime suas características que são a irreverência, o deboche, a rebeldia, a sensibilidade, a sensualidade, dando uma roupagem diferente com o estilo dele. Outra coisa que admiro nele, é que ele sempre descobre coisas novas com compositores desconhecidos.

Ele agora está lançando um CD/DVD que é imperdivel, chama-se "Inclassificáveis", que é também o nome da turnê que ele iniciou pelo Brasil. Ele vai cantar em Brasília no mês de Abril, nao vejo a hora de ve-lo! Prestem atençao neste adjetivo: "Inclassificáveis". Este adjetivo é nome de uma das faixas do disco, é uma canção do Arnaldo Antunes onde ele faz referência a miscigenação das raças e culturas no Brasil. Este adjetivo já diz como é o Ney: Inclassificável!!! O disco nem chegou nas lojas mas um amigo-anjo do Rio de Janeiro, uma dessas nossas almas-gemeas musicais que temos espalhadas no planeta me presenteou com esta maravilha. Veja a capa do CD, beleza suprema! Perfeita!



Vejam as faixas do CD:

1. O Tempo Não Pára (Cazuza / Arnaldo Brandão)
2. Mal Nescessario (Mauro Kwitko)
3. Leve (Iara Rennó / Alice Ruiz)
4. Fraterno (Pedro Luis)
5. Ouça-me (Itamar Assumpção / Alice Ruiz)
6. Um Pouco de Calor (Dan Nakagawa)
7. Novamente (Fred Martins / Alexandre Lemos)
8. Mente, Mente (Robinson Borba)
9. Lema (Carlos Rennó / Lokaua Kanza
10. Sea (Jorge Drexler)
11. Por que a Gente É Assim (Cazuza / Ezequiel Neves / Frejat)
12. Coisas da Vida (Alzira Espindola / Itamar Assumpção)
13. Ode aos Ratos (Chico Buarque / Edu Lobo)
14. Inclassificáveis (Arnaldo Antunes)
15. Veja Bem, Meu Bem (Marcelo Camelo)
16. Divino Maravilhoso (Caetano Veloso / Gilberto Gil)
17. Coragem, Coração (Cláudio Monjope / Carlos Rennó)


Quanto a canção que vou postar hoje, trata-se da canção "Veja bem, meu bem" de Marcelo Camelo (do grupo Los Hermanos) que Maria Rita gravou em seu cd de estréia. Ela trata do tema "Saudade", coisa que eu tenho sentido muito ultimamente. Não fomos feitos para a solidão. Solidão é uma ilha com saudade do naufrago. Um castigo! Um tormento!!! E nesta canção, o compositor faz da saudade, sua compania na solidão. Eu não gosto quando me roubam a solidão sem em troca me oferecerem a verdadeira companhia.

Aqui vai a canção:




Veja Bem, Meu Bem
Composição: Marcelo Camelo

Veja bem, meu bem
Sinto te informar
Que arranjei alguém
Prá me confortar
Este alguém está
Quando você sai
Eu só posso crer
Pois sem ter você
Nestes braços tais...


Veja bem, amor
Onde está você?
Somos no papel
Mas não no viver
Viajar sem mim
Me deixar assim
Tive que arranjar
Alguém prá passar
Os dias ruins...


Enquanto isso
Navegando eu vou sem paz
Sem ter um porto
Quase morto, sem um cais
E eu nunca vou
Te esquecer, amor
Mas a solidão
Deixa o coração
Neste leva-e-trás...


Veja bem além
Destes fatos vis
Saiba: traições
São bem mais sutis
Se eu te troquei
Não foi por maldade
Amor, veja bem
Arranjei alguém
Chamado saudade
Amor, veja bem
Arranjei alguém
Chamado saudade...





Related Posts with Thumbnails
Postar um comentário