domingo, 11 de maio de 2008

A origem do Dia das Mães

A mais antiga comemoração do Dia das Mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 por Júlia Ward Howe, autora da letra do hino do país. Mas foi outra americana, Ana Jarvis, da Filadelfia, que em 1907 iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Diante do sofrimento, algumas amigas a fim de perpetuar a memória da mãe de Anna tiveram a idéia de fazer uma festa. Homenagem essa que, por incentivo de Anna, se estenderia a todas as mães, vivas ou mortas, como um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães, com o intuito de fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães durante três anos seguidos. A primeira comemoração ocorreu em 26 de Abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E.Glasscock, incorporou o dia das mães ao calendário de datas comemorativas. Logo após a comemoração, o Dia das Mães se difundiu por todo o país.

Em 1914, a data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia 9 de maio. Em pouco tempo, o dia das mães passou a ser reconhecido por mais de 40 países.

Em Israel, o dia das mães deixou de ser comemorado, passando então a ser celebrado o dia da família, no mês de Fevereiro.

No Brasil, o dia das mães é comemorado no segundo domingo de maio, conforme decreto assinado, em 1932, pelo presidente Getúlio Vargas, sendo que o primeiro dia das mães foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de Maio de 1918. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

Antes de Anna, a escritora Julia Ward Hove já sugeria a criação do dia das mães, ao organizar em Boston, no ano de 1872, um encontro de mães dedicado à paz.

Fonte: O Guia dos Curiosos - Marcelo Duarte. Cia da Letras, S.P., 1995. Revista Vtrine - artigo - Abril, S.P., 1999


E em homenagem a minha mãe e a todas as mamães do Planeta, escolhi uma canção de Milton Nascimento que é um cantor que adoro de paixão, sempre senti através das canções dele, que Milton tem uma ligação muito forte com a mãe dele. Milton, que é filho de Maria do Carmo Nascimento, uma empregada doméstica, foi adotado por um casal cuja esposa (Lília Silva Campos) era professora de música.



Em 2007, quando ele lançou o cd "Pietá", no encarte do CD ele confirmou esto elo forte:

"Eu que nasci no Rio de Janeiro, em Laranjeiras, fui levado de volta à Minas, terra natal de minha mãe de sangue, quando ela se foi. Era um garoto de pouco mais de um ano e fui recebido com muito carinho pela minha família, mas alguma coisa dentro de mim havia se partido, e sangrava. Pietá, pra mim, é a minha mãe de criação Lília que, mesmo sem nenhum contato ou notícia minha durante muito tempo, pressentiu que algo de errado se passava comigo e veio me socorrer. Me trouxe de volta ao Rio e daqui para Três Pontas. Foi ela quem cuidou de mim e continuou a cuidar por toda a vida, junto com meu pai Josino. Além de muito amor, dos dois eu recebi todas as forças de que precisei. Foi dela a primeira voz feminina que eu me lembro de ter ouvido. Ela que já havia cantado no Rio em um coral regido por Villa-Lobos, cantava para mim e com o tempo eu passei a acompanhá-la, com minha sanfoninha. Foi através dela que eu conheci no rádio Sarah Vaughan, Ella Fitzgerald, Billie Holliday, Yma Sumac, Doris Day, Julie London e principalmente Ângela Maria minha querida Sapoti. Esse disco é um beijo em todas essas cantoras, que me ensinaram a cantar e principalmente à Lília, minha mãe, a quem eu devo tudo que sou e para quem dedico este trabalho. Como não podia deixar de ser."


Eis a canção:



A Feminina Voz do Cantor
Voz: Milton Nascimento
Composição: Milton Nascimento e Fernando Brant

Minha mãe que falou
Minha voz vem da mulher
Minha voz veio de lá, de quem me gerou
Quem explica o cantor
Quem entende essa voz
Sem as vozes que ele traz do interior?

Sem as vozes que ele ouviu
Quando era aprendiz
Como pode sua voz ser uma Elis
Sem o anjo que escutou
A Maria Sapoti
Quando é que seu cantar iria se abrir?

Feminino é o dom
Que o leva a entoar
A canção que sua alma sente no ar
Feminina é a paixão
O seu amor musical
Feminino é o som do seu coração

Sua voz de trovador
Com seu povo se casou
E as ruas do país são seu altar
Feminina é a paixão
No seu amor musical
Feminino é o som do seu coração

Sua voz de trovador
Com seu povo se casou
E as ruas do país são seu altar
A cidade é feliz
Com a voz do seu cantor
A cidade quer cantar com seu cantor
Ele vai sempre lembrar
Da lenha de um fogão
Das melodias vindo lá do quintal
As vozes que ele guardou
As vozes que ele amou
As vozes que ensinaram: bom é cantar



BEIJAO PARA MINHA MAMÃE QUE É UMA FIGURA, MADAME WELCOME, DONA BENVINDA:


Related Posts with Thumbnails
Postar um comentário